Blog

abril 9, 2021

A corrida das redes sociais


Dizemos que os jovens são o futuro, e é verdade. São os jovens que a cada geração conquistam o seu espaço, expõem suas formas, ideias e vontades e, assim, moldam um novo “lifestyle”, com gírias, moda, e entre outros, as redes sociais. As grandes redes sociais que já tivemos (e temos), na verdade, sobrevivem deles, os mais “antenados” e que passariam horas e horas se dedicando às plataformas. Segundo pesquisas, o maior público do instagram, por exemplo, que hoje em dia é um dos apps mais populares, está entre 18 e 34 anos.

Essas mudanças, de geração para geração, são perceptíveis quando passamos a analisar as redes do momento e de cada época.

As primeiras redes sociais propriamente ditas foram sendo criadas a partir de 1997 nos Estados Unidos, mas as grandes, se popularizaram no Brasil, onde tiveram os maiores números de usuários. Pouco depois disso, em 2004, o Orkut, filiado ao Google, foi lançado e foi um dos maiores sucessos mundiais da época. O Orkut se assemelha um pouco ao Facebook, porém, de forma bem mais primitiva e com recursos bem reduzidos. Falando do Facebook, foi ele quem conseguiu superar, em 2012, o Orkut, Tumblr e Twitter, tornando-se líder mundial, e fazendo com que dois anos depois, o Orkut perdesse usuários a ponto de não conseguir mais se manter, saindo do ar. O facebook, por sua vez, não perdeu o seu lugar, mas acabou sendo desvalorizado, o que deu espaço para o Instagram, que chegou inovando a forma de comunicação com um feed que se restringe apenas a publicação de fotos acompanhadas com um texto, e vem há 10 anos fazendo muito sucesso no mercado.

Com todo esse tempo de alta demanda do Instagram, leva o público a pensar: “e agora? qual será a próxima rede social do momento?” , e já estamos encarando alguns possíveis candidatos, como por exemplo, recentemente, onde houve uma explosão do app “clubhouse”, mas até então, nada que consiga nos fazer tirar os olhos das redes que já existiam antes dela.

Os olhares curiosos para a próxima tendência social, vem também, principalmente, dos criadores de conteúdo, designers e marketing, pois quais novas abordagens deverão tomar? Será que o trabalho de algum deles será obsoleto? Muitas marcas já estão se jogando, com muito cuidado, nesses novos apps, à espera das cenas dos próximos capítulos.

A percepção ao analisar mais a fundo cada funcionalidade dessas redes, é que cada vez mais o mundo vem se tornando mais ágil e urgente. Nas primeiras redes, o tempo de resposta de um amigo por uma atualização de perfil, por exemplo, demoravam semanas, esse tempo de resposta foi encurtando e, hoje, o tempo de resposta é quase que imediato, já que todos estão conectados 100% do tempo com seus smartphones, smartwatches etc. Ou seja, as redes sociais se tornaram uma corrida de quem consegue prender o usuário por mais tempo dentro da plataforma, e quem não for bem sucedido nessa corrida acaba caindo no esquecimento.

Poliana Miranda

Poliana Miranda

Designer | Cursando especialização em IDV

posts relacionados