Blog

junho 19, 2017

Público alvo, Consumidor e Persona


Apontar o público-alvo, o consumidor e a persona de uma marca não é uma tarefa tão fácil assim. Você sabe o significado de cada um deles e as suas diferenças? Vamos lá!

 

PÚBLICO-ALVO

Reflete o mercado base do produto ou serviço / Grande grupo com características em comum.

 

O público-alvo de um negócio têm características em comum, abrange inúmeras variáveis e é bastante explorado em ações de reconhecimento de marca, como por exemplo, em uma nova quitandaria do bairro que precisa ser apresentada a pessoas que moram por perto e que consumam os tipos de produtos que podem ser encontrados nela. Ou seja, a maioria delas que possuem essas características de morar perto e consumir os produtos.

Uma marca ou um determinado produto devem ser pensados com base no público-alvo, de maneira abrangente e adaptável o suficiente para atingi-lo com eficiência. Ações com foco em conversão não são indicadas, pois quanto maior o público, menor será o grau de assertividade por não haver um conhecimento profundo das características desse mesmo público.

 

CONSUMIDOR

Quem usa o serviço ou produto / A quem se destina a comunicação

 

O consumidor é quem, de fato, adquire o produto/serviço. As ações de marketing precisam estar alinhadas para atingi-lo efetivamente, pois ele quem irá efetivar a compra e utilizar o produto, ou repassá-lo para uso de familiares ou outros indivíduos. Qualquer pessoa que possua poder de compra – alguém capacitado economicamente para comprar algo – pode ser considerado “consumidor”. Do ponto de vista estratégico, utilizemos o exemplo de um comercial de rações para cães com filhotes felizes e saudáveis. Isso refletirá em uma compra motivada pela sensação que tal produto causa no consumidor (comprador), de que seu cão estará igualmente feliz e saudável com o seu uso.

 

PERSONA

A definição do cliente ideal / Possui características próprias, detalhadas e minuciosamente estudadas.

 

A persona é exatamente aquele cliente que a marca necessita. Focada na personalização, sua criação requer um rigoroso conhecimento do público, inteiramente baseado em pesquisas que irão apontar o cliente perfeito para o negócio. Conhecendo esse cliente, o nível de assertividade nas ações de marketing será bem maior, pois elas serão devidamente construídas e direcionadas. Como exemplo, uma loja de sapatos masculinos localizada no centro da cidade, tem como persona um homem, com idade entre 25 a 55 anos, formado em advocacia, trabalhando e almoçando pelos arredores da loja. A marca saberá mais precisamente onde, quando e como agir para chegar até ele.

 

 

 

Gabriela Albertim

Gabriela Albertim

Recifense, publicitária, diretora de Planejamento da @agenciamobic, mamacita de Violeta, colorida e curiosa. <3 MY JOB!

posts relacionados
comentários
escreva um comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.